Blog do Garreto - A credibilidade é o compromisso da informação!

Brasil tem mais de 2,5 milhões de professores

O número de professores no Brasil passa de 2,5 milhões, segundo censos educacionais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) referentes a 2017. Desse universo, 340 mil professores estavam atuando. Hoje (15), no Dia do Professor, a Agência Brasil mostra as ideias de quem quer seguir a carreira e de docentes que não abrem mão da profissão.

Sobre a formação profissional dos que estavam em sala de aula, 4,3 mil têm diploma superior; 65,4 mil, especialização; 128,4 mil, mestrado; 143,4 mil, doutorado. Apenas 10 deles não tinham graduação.

A maior parte dos professores (2,192 milhões) é da educação básica, enquanto 349.776 são do ensino superior. As estatísticas educacionais contabilizam os profissionais uma única vez, independentemente de atuarem em mais de uma região geográfica, unidade da Federação, município ou etapa de ensino. Do total de professores, 345,6 mil estão na zona rural.

A maioria dos professores tem entre 30 e 39 anos. Mulheres representam quase 70% do corpo docente no país.

Censo

O Censo Escolar, que coleta dados da educação básica, é coordenado pelo Inep e realizado a partir de informações das secretarias estaduais e municipais de educação e escolas públicas e privadas do país.

A estatística sobre a educação superior, apontadas como a pesquisa mais completa do país, reúne informações sobre as instituições de ensino superior, seus cursos de graduação presencial ou a distância, cursos sequenciais, vagas oferecidas, inscrições, matrículas, ingressantes e concluintes e informações sobre docentes nas diferentes formas de organização acadêmica e categoria administrativa.

Flávio Dino anuncia concurso para professores durante Seminário Estadual de Educação do Campo

Nesta terça-feira (7), o governador Flávio Dino participou da abertura do 3º Seminário Estadual de Educação do Campo no Maranhão, realizado no Convento das Mercês. O evento, retomado pelo Governo do Estado após 10 anos, teve como um dos destaque o anúncio da realização de concurso público para educadores do campo, com previsão de atendimento de escolas da zona rural, de comunidades quilombolas e indígenas.

“Em 2018, vocês podem se preparar, vamos fazer o concurso específico para educação no campo, incluindo a previsão de vagas para escolas quilombolas e indígenas”, afirmou o governador.

Sobre a realização do certame, Flávio Dino destacou a prioridade da educação nas ações de governo: “É um concurso que podemos fazer porque a educação é o que a gente prioriza”.

Outras ações também destacadas na abertura do evento foram o programa Escola Digna, que reformou, reconstruiu e construiu mais de 600 escolas das redes estadual e dos municípios; a jornada de alfabetização Sim, Eu Posso!, realizado em parceria com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e que pela primeira vez garantiu direito à educação para mais de 20 mil maranhenses em idade adulta; entre outras iniciativas, como apontou a representante do MST, Maria Leomar Pereira.

“Quero destacar que enquanto alguns estados estão fechando as escolas no campo, o Maranhão, com o programa Escola Digna, tem substituído as escolas de taipa por escolas com infraestrutura melhor”.

“E também a campanha de alfabetização, que dá acesso aos camponeses, aos trabalhadores do campo e da cidade e aos mais pobres do Maranhão, o acesso à leitura e à escrita”, completou.

Seminário

Com palestras, mesas redondas, grupos de trabalho, oficinas, entre outros, o 3º Seminário Estadual de Educação do Campo vai discutir até a quinta-feira (9) políticas públicas e estratégias sobre a temática para o Maranhão.

O seminário estabelecerá, ainda, negociações para o apoio pedagógico a projetos de educação profissional do campo – capacitação de docentes, bolsas de trabalho para monitores e melhoria de infraestrutura.

Na abertura, o evento, que tem como tema ‘Lutas sociais e os desafios da conjuntura política atual’, também contou com a palestra ‘Movimentos sociais e educação do campo: políticas de Estado e as lutas sociais do campo’, defendida pela conferencista da Universidade de Brasília (UnB) Mônica Castagna Molina.

Para o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, o evento marcou a nova fase de desenvolvimento do campo e do povo do Maranhão.

“É um símbolo muito importante a realização desse seminário. O Governo do Estado já vem realizando uma série de ações voltadas para esse segmento, com o diferencial do novo relacionamento com as associações que fazem a educação de campo no estado, por meio de fomento, contratação seletiva de professores, com o apoio financeiro para a alimentação e manutenção das casas familiares rurais, além de outras ações que estamos realizando”, destacou.

O 3º Seminário Estadual de Educação do Campo no Maranhão será realizado até a próxima quinta-feira (9), no Convento das Mercês, em São Luís.

Iniciam hoje as inscrições para o processo seletivo de professores do estado

Serão ofertadas  77 vagas mais cadastro de reserva para o Ensino Médio Regular e Quilombola. Para professores da Educação Especial são ofertadas 89 vagas.

Nesta quinta (19), iniciam as inscrições do seletivo simplificado para contratação temporária de professores  em escolas da rede estadual, conforme os editais 054/2017 (Ensino Médio Regular E Educação Quilombola) e 053/ 2017 (Educação Especial). As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até as 23h59 do dia 26 de outubro (quinta-feira), exclusivamente pelo endereço eletrônico da Seduc.

Após efetuar a inscrição no portal da Seduc, o candidato deverá entregar até às 19h do dia 27 (sexta-feira) os documentos e títulos, acompanhados da ficha de inscrição, gerada via internet, nas sedes da Unidade Regional de Educação a qual estiver jurisdicionado, cujos endereços estão indicados no edital, disponível aqui.

Serão ofertadas  77 vagas mais cadastro de reserva para o Ensino Médio Regular e Quilombola. Para professores da Educação Especial são ofertadas 89 vagas. O seletivo constará de avaliação curricular de títulos e experiência profissional docente, realizado em etapa única.

Os aprovados no seletivo, dentro do limite de vagas, serão contratados pela Secretaria de Estado da Educação, em regime de 20 horas de trabalho semanais.

O Processo Seletivo Simplificado terá validade de um ano, a contar da data da homologação, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da Seduc.

Aulão do Enem 2017 já passou por mais de 42 cidades no Maranhão

O Aulão do Enem já contemplou mais de 4.500 alunos de 42 cidades do Maranhão, número superior ao dobro de municípios atendidos em 2016. Os dados se referem até o primeiro fim de semana de setembro de 2017. Até o final da edição do programa, previsto para outubro, mais 52 municípios ainda serão beneficiados com o reforço do Governo do Maranhão que prepara os estudantes que prestarão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

As aulas são ministradas por profissionais com vasta experiência em pré-vestibular e os alunos inscritos ainda têm direito a apostila com informações teóricas e exercícios. O número de alunos atendidos aumentará expressivamente quando o programa for realizado na capital maranhense e na cidade de Imperatriz, previsto no cronograma do Aulão para acontecer em todos os finais de semana de outubro.

A meta do programa para este ano é alcançar mais de 40 mil alunos de 94 municípios maranhenses.  Esse dado representa 370% a mais de cidades se comparado com o ano de 2015, período de lançamento do programa, quando 20 cidades do Maranhão foram beneficiadas. Em 2016 o número de municípios contemplados foi de 65.
“Em 2015, o Aulão aconteceu em 16 cidades e, em 2016, foram 63. Já em 2017, estamos levando o programa para estudantes de 94 municípios que serão atendidos por essa importante política pública do Governo Flávio Dino. Esse crescimento ratifica a importância que temos dado à educação e ao acesso ao ensino superior”, avalia o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Davi Telles.

O primeiro final de semana de aulas da caravana do Aulão do Enem deste ano foi nos municípios de Santa Luzia do Paruá, Codó, Colinas, Timbiras, Mirador, Porto Franco e Estreito. O público prioritário do programa é o aluno da rede pública, que tem menos oportunidade de frequentar um cursinho, devido ao custo financeiro.
Em viagem pelas cidades do Maranhão, o secretário adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação e responsável pela execução do programa, Pedro Igor Nascimento, conta que é a partir do Aulão que os estudantes despertam o interesse pelo Enem. “Os alunos começam a intensificar seus estudos a partir do curso. Essa é a maior conquista do programa. Temos visto em cada cidade que passamos os jovens cada vez mais focados no Exame”, ressalta.

Aplicação dos conteúdos

As aulas estão sendo aplicadas no formato de megarrevisão, com o desenvolvimento teórico das apostilas do tipo 1, 2, 3, 4 e 5, contemplando todas as disciplinas em um único dia. Uma equipe multidisciplinar está presente, com plantões para tirar dúvidas dos estudantes.

Previsto para iniciar no dia 30 de setembro, as aulas de São Luís e Imperatriz têm um modelo de aplicação diferenciado dos demais municípios, no qual o cronograma é dividido por áreas de conhecimento. O horário será das 8h às 18h, abrangendo todas as disciplinas.

Primeiramente serão disponibilizadas as aulas da área de ciências da natureza (Biologia, Química e Física) e depois outras disciplinas.

Municípios já contemplados
Santa Luzia do Paruá
Codó
Timbiras
Colinas
Mirador
Porto Franco
Estreito
Bacabal
São Mateus
Viana
Matinha
São João dos Patos
Bom Jardim
Paraibano
Pastos Bons
Pindaré
Santa Inês
Cajari
Gov. Newton Belo
Cantanhede
Pirapemas
Carutapera
Amapá do MA
Morros
Axixá
Urbano Santos
Belágua
São Benedito do Rio Preto
Barra do Corda
Jenipapo dos Vieiras
Nina Rodrigues
Vargem Grande
Rosário
Bacabeira
Miranda do Norte
Matões do Norte
Anajatuba
Alto Parnaíba
Santa Filomena
Tasso Fragoso
Caxias
Balsas
Coroatá

Registro de frequência escolar de beneficiários do Bolsa Família começa dia 1º de outubro

Presença escolar de crianças e adolescentes, de seis a 17 anos, deve ser registrada até 30 de outubro. Sistema acompanha mais de 15,2 milhões de estudantes

O Sistema de Acompanhamento da Frequência Escolar do Bolsa Família (Sistema Presença), que acompanha mais de 15,2 milhões de estudantes beneficiários do programa em todo o Brasil, será aberto no dia 1º de outubro.

Lá, os profissionais da educação devem registrar a frequência escolar das crianças e adolescentes, na faixa de seis a 17 anos. A impressão dos formulários já está disponível no sistema. O prazo desta etapa de registro será encerrado no dia 30 de outubro.

O acompanhamento é realizado em cinco períodos bimestrais ao longo do ano. À frente desse trabalho, o Ministério da Educação atua em parceria com cerca de 50 mil coordenadores municipais e estaduais, além de auxiliares da área educacional.

Uma das condicionalidades do Bolsa Família é justamente a frequência escolar das crianças e dos adolescentes beneficiários. O objetivo é que o poder público possa atuar para garantir os direitos básicos – como a educação – às famílias que estão em situação de maior vulnerabilidade. E a ausência da escola é indício dessa condição.

“O acompanhamento tem como principal objetivo combater o abandono e a evasão escolar e, dessa forma, contribuir para a permanência e progressão dos estudos na idade apropriada de crianças e adolescentes de seis a 17 anos”, reforça a coordenadora-geral de Acompanhamento da Inclusão Escolar do MEC, Simone Medeiros. O percentual mínimo é de 85% de frequência para quem tem entre seis a 15 anos e de 75% para jovens de 16 e 17 anos.

Presença

Um dos melhores índices de acompanhamento da frequência escolar de crianças e adolescentes cadastradas no Bolsa Família, na faixa de seis a 17 anos, foi registrado pelo Ministério da Educação entre junho e julho deste ano, quando o Sistema Presença contabilizou a frequência de 87,47% dos estudantes beneficiários do programa.

É o segundo maior percentual, referente ao período abordado, desde que a frequência escolar começou a ser acompanhada, em 2007. Apenas no mesmo bimestre de 2014 esse índice foi maior, chegando a 88,61%.

Uma das condicionalidades para receber o Bolsa Família é que crianças e adolescentes beneficiários comprovem frequência na sala de aula. O percentual mínimo é de 85% de frequência para quem tem entre seis e 15 anos e de 75% para jovens de 16 e 17 anos.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Educação 

Medidas garantem acesso à educação a pessoas com deficiência

Mudanças na estrutura de seleções, como no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e políticas que asseguram a permanência em sala de aula estão entre as ações do Ministério da Educação (MEC) para garantir os direitos das pessoas com deficiência. Só na educação básica, segundo o censo escolar de 2015, são mais de 930 mil alunos nessas condições.

Como forma de melhorar o ensino voltado a esses e outros estudantes com deficiência, o Ministério da Educação trabalha em três eixos: participação da comunidade, formação continuada dos professores e acessibilidade, desde a questão arquitetônica das escolas, passando por mobiliário e tecnologias.

“São valores importantes de não discriminação, de consideração sobre essa complexidade humana. Não é um dia de luta apenas da pessoa com deficiência, mas da nossa sociedade contra o preconceito e o desconhecimento”, enfatiza a diretora de Políticas de Educação Especial da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Patrícia Raposo.

Nesse sentido, existem ações como o Programa Escola Acessível, que visa adaptar as escolas para receber os alunos, com recursos multifuncionais e apoio à melhoria do espaço físico. Até 2016, foram contempladas 50.510 escolas públicas com recursos do programa. São oferecidos equipamentos, mobiliários, materiais pedagógicos, recursos de acessibilidade e outras estratégias para eliminar barreiras.

O MEC também tem um programa de formação de multiplicadores e profissionais de atendimento ao alunado com deficiências visuais e auditivas. Somente este ano, foram realizados 108 cursos nos Centros de Apoio para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP) e 74 nos Centros de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez (CAS). Ambos trabalham na formação continuada de professores e produção de material didático acessível.

Salas de aula

Atualmente, 24,5% das escolas que registram matrículas de alunos com deficiência têm atendimento educacional especializado. Além disso, 28% têm salas de recursos multifuncionais e 5% dos professores que atuam nessas escolas têm formação específica em educação especial, sendo que, dos docentes que atuam em turmas com alunos da educação especial, 5,5% possuem formação específica.

Enem

Entre as ações do MEC voltadas às pessoas com deficiência está a adequação do Enem àqueles com surdez ou deficiência auditiva. Na edição de 2017, será oferecida como opção de auxílio a prova em videolibras, por meio da qual os estudantes poderão resolver as questões com apoio de um vídeo, que as apresenta traduzidas para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Os participantes também poderão optar por dois recursos já oferecidos pelo Inep: o tradutor-intérprete de Libras e a leitura labial.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Educação

MEC divulga resultado da segunda chamada do ProUni

A lista com a documentação a ser apresentada está disponível na página do programa.

Governo entrega reforma da maior escola de Pedreiras, que estava abandonada há mais de 5 anos

Compromisso assumido pelo governador Flávio Dino no ano passado, a reforma do Centro de Ensino Olindina Nunes Freire, em Pedreiras, foi entregue nesta segunda-feira (19). A reconstrução da unidade, que estava abandonada há mais de cinco anos, vai beneficiar cerca de 600 alunos do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e faz parte do Escola Digna, maior programa de investimento educacional da história do Maranhão. Na ocasião, o Governo do Estado fez a entrega de 3.390 uniformes escolares para os estudantes pedreirenses.

Em abril de 2016, o governador Flávio Dino esteve em Pedreiras para inaugurar o primeiro Restaurante Popular do Maranhão fora da capital e atendeu integrantes da União Pedreirense de Estudantes para tratar sobre as obras do C.E Olindina Nunes Freire, paralisadas há mais de cinco anos. Na ocasião, ele garantiu que a escola seria uma das 600 que estão sendo contempladas com reforma e manutenção no âmbito do programa Escola Digna.

Reforma do CE Olindina Nunes foi um compromisso assumido pelo governador Flávio Dino ano passado. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Em seu discurso, o governador Flávio Dino lembrou da sua última visita ao município e o compromisso assumido com a comunidade escolar de Pedreiras. “E quero aqui agradecer aos alunos, funcionários e professores, que são os grandes responsáveis por essa mudança”, destacou, enfatizando que uma sociedade só pode melhorar se houver evolução na educação.

Com mais essa entrega, o Governo mantém a média de uma escola construída, reconstruída ou reformada a cada dois dias de Governo. “Todo mundo fala sobre educação no palanque e depois esquece. Nós estamos mostrando isso na prática. Se fizessem o que a gente está fazendo, as escolas não estariam do jeito que estão. Mas, das 1200 escolas estaduais, nós já fizemos intervenções na metade. E todas as escolas vão ter o tratamento que merecem até o final de 2018”, ressaltou Flávio Dino.

Os alunos do Centro de Ensino Olindina Nunes Freire agora terão espaço mais digno para a aprendizagem. Com a reforma, a unidade voltará para o prédio histórico, que tem 40 anos, e já foi referência para toda a região do Médio Mearim. Atualmente, a unidade funciona em um local de apenas seis salas. O novo espaço possui 20 salas e terá capacidade para atender mais de dois mil alunos após o investimento de R$ 2,1 milhões para reforma geral e ampliação de espaços, como a reconstrução do muro, instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias, reforma do piso, pintura geral e novo telhado.

A aluna Isabelle Lopes, do 2º ano do C.E Olindina Nunes Freire, era só alegria durante a solenidade de inauguração da nova escola. “Estava todo mundo muito ansioso. Muda muita coisa porque para começar do conforto que a gente vai ter. As salas são maiores. No antigo prédio, por exemplo, tinha uma base de 50 alunos em cada sala e aqui a gente vai poder dividir. Os ares-condicionados, tem laboratório de informática, de química, biblioteca, o espaço é muito maior e relação ao conforto é muito melhor para o nosso aprendizado”, realçou a estudante.

Governo do Estado fez a entrega de 3.390 uniformes escolares para os estudantes pedreirenses. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Niciele Aguiar representou todos os alunos da escola e, em seu discurso, pediu zelo aos seus amigos porque essa foi uma conquista grande para toda a comunidade de Pedreiras. “Sabemos da crise que o nosso país está enfrentando. E, é sim, uma grande conquista e agora cabe a nós alunos valorizarmos aquilo que é nosso. Estou muito feliz assim como todos estão aqui. É uma grande conquista. Muitas pessoas não acreditavam que isso seria possível”, sublinhou.

Outros investimentos
A passagem do governador Flávio Dino por Pedreiras marcou também o anúncio de mais investimentos. Na ocasião, ele anunciou a construção de uma quadra coberta para o C.E Olindina Nunes Freire, além de R$ 4 milhões para o abastecimento de água para toda a cidade e mais uma etapa do programa Mais Asfalto.

População acompanhou entrega da reforma de escola. Foto: Gilson Teixeira/Secap

FLÁVIO DINO REINAUGURA COLÉGIO OLINDINA NUNES FREIRE E ANUNCIA OBRAS PARA PEDREIRAS JUNTAMENTE COM PREFEITO ANTONIO FRANÇA

O prefeito Antônio França e o vice Everson Veloso recepcionaram o governador Flávio Dino nesta segunda-feira (19/06), para a reinauguração do Colégio Olindina Nunes Freire, em Pedreiras. Inicialmente o governador entregou aos diretores de escolas estaduais, 3.390 uniformes escolares para os alunos.

Estiveram presentes o secretário de Estado de Indústria e Comércio, Simplício Araújo; os deputados Estaduais Fábio Macêdo, Vinícius Louro e Ana do Gás; prefeitos Aluizinho (Esperantinópolis), Jailson (Lima Campos), Eudina (Bernardo do Mearim), Erlânio Xavier (Igarapé Grande), Mundim (São Roberto) e Bigu (Santo Antonio dos Lopes), o presidente da Câmara Municipal de Pedreiras, Bruno Curvina e vereadores pedreirenses, secretários municipais e várias autoridades da região.

O governador entregou a reforma e readequação da unidade de ensino, atendendo à solicitação de alunos e professores que fizeram uma mobilização, quando da inauguração do Restaurante Popular. E para representar os discentes, a aluna Nicielly Aguiar, fez um pronunciamento, agradecendo ao empenho de Flávio Dino para que a escola fosse recuperada. “Estou muito feliz, governador, porque é um sonho realizado para todos nós do Olindina”, disse.

A diretora-geral da escola, Iaciara Rios também falou, e agradeceu ao governador, pedindo que o mesmo construa a quadra de esportes, instale os laboratórios e disponibiliza mais servidores, tendo em vista que o prédio que está funcionando provisoriamente a unidade de ensino é menor que o novo prédio, por isso a necessidade de mais vigias e AOSD’s para o novo prédio.

Em seu pronunciamento, o prefeito Antônio França disse que aproveitaria o momento para agradecer a obra, mas também para pedir, e entregou ao governador um documento volumoso contendo reivindicação de obras que o gestor municipal considera fundamentais para Pedreiras. “Venho aqui pedir muito ao governador, porque sabemos que ele tem muito a nos oferecer. Estou pedindo obras, como a agilização da construção do Hospital Regional, que está muito lenta; Mais Asfalto, melhorias do nosso sistema de água e outras demandas”, disse o prefeito, complementando: “Todos aqui, secretário Simplício, deputados Fábio Macedo, Vinicius Louro, se cada liderança conseguir cinco quilômetros de asfalto, pavimentaremos a cidade inteira”, finalizou.

Flávio Dino chamou a atenção sobre a importância de reformar a escola Olindina Nunes Freire. “Esta unidade estava abandonada há anos, e nós, atendendo a mobilização dos alunos e professores, estamos entregando hoje uma escola digna, totalmente reformada e ampliada, e quadra já iniciaremos na próxima semana. Já reformamos mais de 600 escolas no Maranhão, isso representa a metade das 1.200 unidades de ensino em todo o Estado”, disse o governador.

O gestor estadual ainda anunciou investimentos de 4 milhões de reais para o Sistema de Água da Caema em Pedreiras, para melhorias na estação de tratamento, tubulação, bombeamento e construção de nova caixa d’água. Disse ainda que está agilizando a reforma do Mercado Central, a pedido do prefeito Antônio França e do deputado Fábio Macedo, bem como já está fazendo o projeto da construção de uma avenida perimetral e uma nova ponte, também reivindicação do prefeito, do deputado e do secretário da Indústria e Comércio, Simplício Araújo. O governo ainda se comprometeu a atender as demandas de asfalto para o Município.

O governador ainda falou da crise que o Brasil está vivendo e ressaltou que o Maranhão perdeu mais de 1,5 bilhão de reais, e que o Estado sobrevive com 50% de repasses federais, e isso representa muito no contexto geral da administração, mas que está trabalhando cuidadosamente para o desenvolvimento, apesar da crise.

Sobre a parceria com o prefeito Antônio França, o governador Flávio Dino afirmou. “Ele tem sido um ótimo parceiro, uma pessoa leal, transparente, que tem apresentado as demandas que a cidade precisa, de forma que Pedreiras tem um prefeito que cobra, que reivindica, que solicita as coisas para sua cidade, e isso é muito bom, então agradeço ao prefeito França, às lideranças que tem ajudado o nosso governo”, disse.

“A visita do governador Flávio Dino a Pedreiras é algo muito positivo, pois ele veio aqui entregar esta escola e anunciar novas obras, como a Caema, com investimentos de 4 milhões; o mercado, a perimetral, asfalto, etc. É um grande ganho para nós que estamos juntos com o prefeito Antônio França defendendo as demandas deste Município, e continuaremos buscando melhorias para o povo de Pedreiras, juntamente com o prefeito”, disse o deputado Fábio Macêdo.

O prefeito Antônio França também avaliou positivamente a visita do governador. “Foi muito boa, entregamos para ele nossas reivindicações e esperamos ser atendidos. Já agendamos uma audiência em São Luís, no Palácio, e lá esperamos concretizar as obras necessárias para Pedreiras”, disse o prefeito, ressaltando que o governador já se comprometeu com as obras de reforma do Mercado Central, já está autorizado o projeto da Perimetral, para viabilização dos custos da obra da avenida e da ponte, dará agilidade à construção do Hospital Regional, que são obras importantes que ele tem buscado a parceria com o Governo do Estado.

Após as inaugurações foi oferecido um almoço na Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Pedreiras (Aciap), onde o governador e o prefeito foram convidados para a inauguração de uma academia para atividades físicas dos associados. Na oportunidade foram ainda apresentadas várias atrações culturais pedreirenses, dentre as quais, o Coral da APAC, bumba-meu-boi, etc.

 

Ascom